Algumas coisas que aprendi:

Viver é simples, mas não é fácil.

Os grandes aprendizados estão por aí, em toda parte.
Enquanto nós, muitas vezes os buscamos no topo da montanha mais alta ou num MBA em Massashucets, eles estão saindo, gratuitamente da boca daquela senhora da tapioca no quiosque do parque ou do motorista de um Uber.

Grandes despedidas muitas vezes acontecem sem que a gente ao menos nos dê conta que é uma despedida.
Isso faz de cada encontro, sagrado.

Estar casada é ótimo, mas é um saco.
Estar sozinha é um saco, mas é ótimo!

Viajar é maravilhoso.
Voltar pra casa também.

A felicidade, muitas vezes, mora no contraste de um contraponto.

Ser mãe é a tarefa mais difícil e desafiadora de todas que experimentei até aqui.
Escrever um BestSeller, Palestrar (olha, olha, quem se liberou para usar esse verbo, gente!) para 6 mil pessoas não chegam nem aos pés do que significa, pra mim, criar um filho.

Algumas coisas podem ser economizadas sem desperdiçar vida, outras não.
É muito difícil saber qual é qual e viver de acordo com isso.

Você toma todas as suas decisões baseado numa hierarquia de valores.
Poucos tem alguma ideia de quais valores são esses.
A felicidade, ao meu ver, depende da congruência entre os valores que você tem aí dentro e a vida que vive a vida aqui fora.

Pra entender o que são valores, imagine-se uma geladeira.
Valores seriam as coisas que estão dentro.
Humanos, assim como geladeiras, podem ter coisas deliciosas ou estragadas.
Só encarando olhar do lado de dentro pra saber.

Expectativas são mentiras que criamos tentando ser feliz agora, mesmo sabendo que vamos nos ferrar alí na frente.
Criar expectativas é escolher viver uma mentira.
E mentiras podem ser muito educadas, fofas e confortáveis às vezes.
Aprendi a preferir a verdade, mesmo assim.
Hoje prefiro um NÃO que um NÃO SEI.
Levei 40 anos para aprender a preferir isso.

Pessoas soltam gazes no avião.
Acho uma sacanagem.                                                                                                                         A não ser que estejam dormindo, aí está liberado.
Talvez seja apenas ingenuidade.
A pessoa acredita mesmo que vai conseguir cheirar tudo.
Nunca sabemos a razão pela qual as pessoas fazem as coisas…
E nem porque liberam suas fedorentices.
E olha, que nem estou mais falando de gazes aqui…
Não nos cabe julgar.
Só tapar o nariz mesmo e esperar passar.

Não sei nada sobre o que existe dentro do outro.
Reconhecer isso alimenta a humildade e “desalimenta” o ego.

As coisas mais gostosas de comer engordam e te matam mais rápido.
As coisas saudáveis não tem gosto de nada.
Precisamos aprender a gostar do que nos faz bem.
Isso vale para as comidas, para situações e para as pessoas.

Poucas coisas na vida tem a capacidade de superar aquela sensação mágica que existe nos segundos que antecedem um primeiro beijo.

Enquanto você enxergar relacionamentos como desafios que precisa ganhar, comédias românticas que precisa viver, dramas que precisa superar ou metas que precisa cumprir.
Você será infeliz.

A vida não é coisa de concluir.
A vida é coisa de experimentar.

Experimente:
Cuidar muito bem do seu agora.
Se afastar de gente que pesa.
E aprender a ser feliz com coisinhas…
Essa é a receita!